O TREINADOR: CARACTERÍSTICAS, FUNÇÕES E IMPACTO NA VIDA DO ATLETA




Conceitos básicos a se entender:

Alunos: contratam seus serviços diretamente (ou através de seus responsáveis no caso de crianças e adolescentes) para aprender e desenvolver habilidades técnicas e valores esportivos relacionados ao boxe. Demandam um foco pedagógico.

Clientes: te contratam para aprender e desenvolver não apenas habilidades técnicas e valores, mas também para melhorar o seu condicionamento físico.

Discípulos: são aqueles que estão com você para o que der e vier, querem aprender o máximo e estar o mais próximo de você, geralmente treinam de graça porque te ajudam de alguma forma e teoricamente darão continuidade ao seu legado.

Atletas: é uma mescla dos três em maior ou menor percentual. Os atletas podem ajudar a alavancar o seu nome como treinador no mundo do boxe competitivo, mas também demandam um brutal esforço e dedicação já que depositam em você o seu futuro. O atleta é visto como o espelho do treinador e vice-versa, assim que essa interdependência é como uma sociedade, um casamento que deve ser muito bem gerido.

- CARACTERÍSTICAS DE UM TREINADOR DESPORTIVO

Um bom treinador desportivo deve ter uma ampla gama de qualidades, como:

. Capacidade de motivar: o esporte necessita que o atleta tenha estado de ânimo contínuo. Os atletas podem treinar e treinar por horas, comer bem, mas se seu humor estiver ruim, seu desempenho ficará obviamente abaixo de suas possibilidades ideais.

É por isso que o treinador deve ser um grande psicólogo. Este domínio da personalidade dos seus liderados deve ser complementado com um amplo conhecimento em técnicas motivacionais e reativação do espírito competitivo e de aprendizagem. Cada situação e cada atleta, como mencionamos acima, são únicos e irrepetíveis, e o treinador deve saber aplicar a receita perfeita para que os resultados sejam os planejados.

Se aspiramos ser treinadores de sucesso, devemos ter em mente que nosso sucesso na capacidade de motivar nossos atletas será a pedra angular sobre a qual giram todas as outras decisões relacionadas a esta profissão.

. Disciplina: é uma faceta complicada de controlar, pois é muito fácil confundi-la com autoritarismo. O bom treinador deve atingir o cumprimento das regras de conduta e treinamento, baseado no entendimento lógico de sua utilidade pelos atletas.

Impor regras “porque sim”, sem deixar de discutir seu significado e relevância na obtenção de sucessos futuros, acabaria se revelando uma tentativa em vão. As pessoas que treinamos não podem ser controladas por imposições, é muito mais fácil conquistar sua lealdade e confiança a partir do estabelecimento de códigos de conduta bem explicados e a partir dos quais as consequências positivas são facilmente observáveis ​​por nossos atletas.

. Domine a estratégia: sem dúvida, essa é a habilidade que faz a diferença no mundo dos esportes, principalmente os profissionais. Motivação e disciplina, nesses níveis, são áreas muito controladas pelos referentes do treinamento esportivo, porém, quando chega a hora de nosso nosso atleta enfrentar um outro a capacidade de antecipar os movimentos do adversário e desequilibrar a luta a nosso favor é um dom que proporciona enormes doses de categoria e reconhecimento para aqueles que a possuem. Ser um bom estrategista não é apenas saber de cor a teoria competitiva. É algo que vai muito mais além, e que se traduz em pequenos detalhes como ser capaz de detectar os medos do adversário e fazê-los reviver no momento certo, ou saber equilibrar adequadamente as diretrizes de ataque e defesa que devem ser aplicadas em cada disputa competitiva.

. Controlar, avaliar e melhorar continuamente: é uma máxima dos negócios e que devemos seguir se queremos evitar a estagnação de nossos métodos e atletas. Uma vez feito o planejamento da temporada, assim como é feito o orçamento de uma empresa, devemos ter claro que esses planos sempre sofrerão desvios na aplicação prática.

É aqui que a capacidade do treinador de estabelecer sistemas de controle de desempenho eficientes entra em ação de uma maneira diferente. Se pudermos medir, de forma objetiva e quantitativa, os resultados que estamos obtendo e também estivermos preparados para avaliar e interpretar adequadamente o significado desses dados, estaremos preparados para adotar as medidas corretivas adequadas que nos permitam evoluir nosso método de treinamento, adaptando-o as novas exigências que nos são impostas por cada tipo de competição e adversário a vencer.

- PRINCIPAIS FUNÇÕES DO TREINADOR

Embora a tarefa mais óbvia que o treinador deva realizar seja a preparação físico-técnico-tática de seus atletas, a deriva do esporte atual torna imprescindível que estes sejam complementados com uma preparação psicológica adequada, para enfrentar momentos de desgaste mental e emocional, com garantias de sucesso, e também com a transmissão efetiva de bons conhecimentos sobre estratégia de competição.

Se tivermos sucesso no ensino conjunto e equilibrado dessas áreas estaremos no caminho certo que nos permitirá maximizar o desempenho e as virtudes do atleta, aliviar a influência de suas fragilidades e deficiências no resultado final e ajudar a combater eficazmente as ações dos seus adversários.

Hoje, devido à complexidade do esporte de alto rendimento os treinadores se transformaram em uma das peças de uma equipe multidisciplinar que gira em torno dos atletas. Se a harmonia entre essa equipe for boa, a eficiência dos métodos de treinamento também será, mas caso isso não aconteça, é sempre recomendável que o treinador responsável tenha um amplo conhecimento em relação às diversas áreas citadas.

Se dominarmos todos os aspectos anteriores, não só saberemos tratar correctamente as situações de incompatibilidade com os nossos colaboradores, como também prepararemos de forma ótima nossos atletas quando os meios e as condições de trabalho forem marcados pela precariedade dos recursos disponíveis.

- IMPACTO DO TREINADOR NA VIDA DO ATLETA

Há um aspecto sobre o qual um treinador desportivo nunca deve perder a perspectiva:

“A influência que suas ações e ensinamentos podem ter no desenvolvimento pessoal e profissional dos atletas sob sua responsabilidade”.

Deste ponto de vista, é importante que façamos uma diferenciação clara entre o treinador de base, aquele que ajuda, através do desporto, a formar a personalidade de crianças e adolescentes, e o treinador adulto, mais focado na realização e resultados a nível competitivo ou pessoal.

Ao longo de suas vidas, muitas vezes uma criança ou adolescente passa por diferentes treinadores. Embora seja impossível para todos treinadores chegarem a um acordo sobre os métodos e objetivos específicos a serem alcançados neste período fundamental da formação pessoal, é verdade que todos devem ter sempre em mente a seguinte máxima:

“nunca comente ou faça ato de de natureza formativa sem primeiro ter analisado e ponderado devidamente”.

Quando um treinador pune ou repreende um adulto, ou transmite comentários de natureza polêmica, o destinatário dessas mensagens é um indivíduo com personalidade já desenvolvida e com capacidade suficiente para avaliar e filtrar o que recebe de seus superiores em termos de aprovação e rejeição. No entanto, os menores na sua maioria carecem destes filtros cognitivos, são esponjas que acatam e internalizam os ensinamentos dos seus treinadores, pelo simples fato de verem neles o escudo protetor que os protege naquele ambiente social específico que é o treinamento e meio competitivo.

Todos nós fomos crianças e, se pensarmos em alguns dos treinadores que tivemos, perceberemos com que facilidade associamos certas ações e frases específicas às suas pessoas. Esse é o caminho educacional que eles deixaram para nós, que agora queremos atuar como treinadores, se é que já não o fazemos.

Cientes deste impacto que podemos ter na futura percepção de vida dos nossos alunos, com certeza, a partir de agora, iremos tentar fazer com que amanhã nos identifiquemos com momentos específicos em que valores como o respeito, fair play, o sucesso através do esforço e o desejo de melhorar. Se pudermos fazer isso acontecer é mais do que provável que seja uma consequência direta de reunirmos as habilidades e características que supostamente identificam os grandes treinadores esportivos.

O treinador desportivo deve investir continuamente em sua carreira, aprendendo e desenvolvendo e adquirindo conhecimentos para que possa sempre estar melhorando a qualidade do serviço.


Por:

Ricardo Serravalle Guimarães

Professor Licenciado em Educação Física.

Treinador Nacional e Internacional de Boxe no Brasil e Espanha.

Diretor Técnico Internacional da ANIB na Espanha.

CEO da Universidade do Boxe @universidadedoboxe.

www.universidadedoboxe.com