PRINCIPAIS LESÕES NO BOXE E COMO PREVENIR.

Atualizado: 6 de Nov de 2020


Treinar sempre com os equipamentos de proteção

Em um esporte de contato intenso, como o boxe, além de aprender a bater mais e receber menos golpes, é preciso saber também evitar lesões por falta de técnica.

Embora muitas das lesões causadas por golpes durante o treinamento, combate, possam ser evitadas com um exaustivo trabalho voltado ao sistema defensivo.

Existem muitos mitos em torno do boxe, por ser um dos esportes mais intensos do mundo. A maioria delas trata de lesões e doenças sofridas por boxeadores durante lutas ou a longo prazo.

A realidade é que como em qualquer esporte de contato físico, existem possibilidades de lesões e doenças durante ou após sua prática, sem ser uma condição exclusiva do boxe.

Provavelmente, a única forma eficaz de evitar as lesões mais frequentes no boxe é não praticar esse esporte ou realizá-lo de maneira meramente recreativa, já que o mesmo possui lesões intrínsecas que seus praticantes sofrem antes, durante ou após as competições, porém, o número de lesões ou sua intensidade podem ser reduzidos com alguns cuidados.

Lesões em qualquer esporte:

Lesões e doenças causadas por esportes intensos são gerais, e não são exclusividade do boxe.

Quase todos os atletas sofreram ou sofrerão algum tipo de lesão em decorrência da prática de sua disciplina ou esporte.

Alguns exemplos claros são o futebol, tênis, basquete, vôlei, ginástica, e até mesmo atletas de esportes individuais como natação, ciclismo, atletismo, triathlon, etc., todos sofrem lesões, portanto, elas fazem parte de qualquer esporte, não apenas no boxe, embora a intensidade e a gravidade variem de um esporte a outro.

Tipos de lesões mais frequentes no boxe:

Os boxeadores registram, estatisticamente, lesões maiores durante os combates do que durante o treinamento, sparring ou a longo prazo.

É no ringue quando o lutador recebe vários golpes durante os assaltos que duram o combate, e é o tempo de exposição com maior intensidade aos golpes que podem causar lesões como fraturas, luxações, entorses, cortes, lacerações, contusões, danos a órgãos internos, entre outras consequências.

As lesões mais frequentes no boxe são:

Cabeça e rosto do boxeador, por golpes frequentes.

Mãos ou punhos, de golpes mal aplicados ou por excesso de golpes.

Lesões nos olhos, pois é a área mais sensível do rosto.

Fraturas ou lesões no nariz, a segunda área mais sensível do rosto.

Lesões nas articulações como joelhos e cotovelos, devido a aquecimento insuficiente ou hiperextensão.

Torções de tornozelo devido ao mau aquecimento e movimentos muito bruscos.

Lesões na mandíbula, orelha, pescoço e braços, devido a golpes recebidos em combate.

Lesões do boxe durante os treinamentos:

Nos treinamentos também são registradas as lesões causadas principalmente pelo mau aquecimento, principalmente: lesões musculares e articulares.

Durante o treinamento, os golpes são menos intensos, pois servem para preparar o combate real, para ensiná-los a reagir, mas não são um combate real, além disso se trabalha também com mais proteções, como luvas com mais onças e capacetes, e é por isso que há menos lesões durante o treinamento do que no ringue durante os assaltos que compõem a luta.

Lesões durante o combate:

Mais da metade das lesões que um boxeador pode ter durante sua vida ativa no boxe serão encima do ringue. Entre eles, os mais comuns são:

Lacerações na face através dos golpes contínuos buscando conectar pontos ou KO.

Lesões na mão ou punho devido a golpes mal aplicados ou golpes violentos.

Lesões ou cortes nos olhos e sobrancelhas causados ​​pelos golpes recebidos.

Lesão ou fratura no nariz, que é a segunda área mais sensível do rosto.

Lesões de longo prazo:

Vários estudos analisaram os possíveis danos que o boxe profissional pode gerar a longo prazo nos lutadores e, embora não haja conclusões determinantes, existem várias hipóteses sobre os danos e doenças que os lutadores aposentados podem apresentar.

Possível dano à região septal e à cavidade do septum lúcidum, devido a trauma causado por golpes na cabeça.

Possibilidade de desenvolver Parkinson.

Diferentes tipos de danos aos olhos ou ouvidos.

Dano ou trauma ao parênquima cerebral frequentemente resulta em perda da capacidade cognitiva ou até mesmo morte

ETC - Encefalopatia Traumática Crônica onde três estágios de deterioração clínica são descritos:

. O primeiro estágio é caracterizado por transtornos afetivos e sintomas psicóticos;

. Durante o segundo estágio, aparecem a instabilidade social, o comportamento errático, a perda de memória e os sintomas iniciais do Parkinson;

. O terceiro estágio consiste na disfunção cognitiva geral que progride para demência e é frequentemente acompanhada por Parkinson completo, bem como por anormalidades na fala e na marcha.

Outros sintomas incluem: disartria (dificuldade na articulação ou na pronúncia das palavras), disfagia (dificuldade ao engolir), cefaleia crônica, depressão, vertigem, surdez, diminuição progressiva dos movimentos musculares e distúrbios oculares, como ptose palpebral.

A gravidade da doença parece estar correlacionada com a quantidade de tempo gasto em esportes de contato e o número de lesões traumáticas, embora uma única lesão traumática possa desencadear o aparecimento de ETC.

Como evitar lesões devido a má técnica:

Entre as lesões de boxe que podem ser facilmente evitadas estão as causadas por uma técnica inadequada, assim que antes de iniciar o treino ou combate cada uma das articulações deve ser aquecida com diferentes exercícios de mobilização articular, algo de elasticidade e força, desta forma, os músculos e articulações estarão lubrificados, ativos e prontos para trabalhar.

Outro tipo de lesão que pode ser evitada são as causadas pela hiperextensão, que ocorre nos golpes dados no ar, quando o braço é lançado com toda a força, mas não atinge o adversário. Nesse caso, a técnica correta é nunca estender 100% as articulações e sim 99% (sempre deixando uma diminuta margem de flexão antes da extensão completa de qualquer golpe.

Por fim, a chamada fratura do boxeador também pode ser evitada cuidando-se da técnica, que envolve a fratura do quarto e/ou quinto metacarpo. Pode ser prevenida golpeando corretamente com o segundo e terceiros metacarpos, evitando o desvio para dentro do punho, que é a principal causa dessa lesão.

Como evitar lesões por golpes em combate?

“O boxe é a artes de golpear sem ser golpeado” e quem não respeita essa “lei” provavelmente em um futuro pode vir a pagar as consequências por suas escolhas.

Lesões no rosto e corpo podem ser prevenidas, mas não definitivamente evitadas, sempre mantendo a guarda alta e os cotovelos fechados e apontados para baixo a frente das costelas. Sempre ter o oponente em seu ponto de visão é vital para saber aonde o golpe vai aterrizar. Exercícios para cuidar da guarda o ajudarão a prevenir lesões ou lacerações nos olhos, bem como fraturas do nariz, mandíbula ou costelas.

Recomendações para evitar lesões:

Ter uma dieta nutritiva.

Seguir as instruções do treinador.

Treinar os fundamentos do boxe.

Aquecer adequadamente.

Comprar artigos de qualidade.

Utilizar os equipamentos de proteção.

Aprender a fazer uma boa bandagem de mãos.


Por:


Ricardo Serravalle Guimarães

Professor Licenciado em Educação Física.

Treinador Nacional e Internacional de Boxe no Brasil e Espanha.

Diretor Técnico Internacional da ANIB na Espanha.

CEO da Universidade do Boxe @universidadedoboxe.

www.universidadedoboxe.com